Retalhos e Devaneios

Retalhos e Devaneios

Páginas

domingo, 13 de julho de 2014

JULGAMENTO!

Julguei o vizinho: Olha o que ele fez? 
Julguei a sobrinha: Como age mal? 
Julguei o pai do Joãozinho: Não sabe por limites. 
Julguei o choro da fulaninha: Mas como chora por bobagens? Nem sabe o que é dor de verdade!
Julguei o trabalho do colega: Mas que bela porcaria, podendo fazer algo tão melhor!
Julguei a pergunta do guri: Mas que burrice!
Julguei o comportamento daquela mulher: P....! Sem vergonha!
Julguei o mendigo que pedia esmola: Aposto que é pra beber!
Julguei o assaltante: Lincha! Podia estar trabalhando!
Julguei a falta do outro: Doente de novo? 
Julgo, julguei, julgarei.... mas e agora? 
Estou sentada no tribunal pelo que fiz, pelo que agi, pelo que deseduquei, pelo meu choro, pela porcaria que ofereci, por minha ignorância, pelo meu comportamento, por minha fuga, por minha necessidade, por minha doença... E agora? Não podem me julgar! É injusto!!!!! Entendam o meu lado, por favor?!