Retalhos e Devaneios

Retalhos e Devaneios

Páginas

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Meu lugar ao sol. Onde?

O fato é que não encontrei meu lugar no mundo, não sou daqui, não sei onde é meu lugar. 
Essa cidade não tem nada a ver comigo, caminho na rua e sinto-me uma estrangeira. 
Minha família amo muito do fundo do meu coração, daria minha vida por eles e lhes sou grata a minha vida, mas a verdade é que sou o patinho feio no meio dos cisnes.
Meu trabalho, paixão total, adoro meu local de trabalho, meus queridos alunos que amo, mas convenhamos sou a estranha do ninho, não me encaixo na linha pedagógico, sinto-me completamente diferente dos demais. 
Minhas relações amorosas dão errado, talvez porque a diferença seja sempre gritante, basta um tempo de convivência para eu perceber que é eu que não me encaixo. 
Já tentei muita coisa, fiz teatro porque pensava que lá sim encontraria pessoas próximas de mim, mas bastava as pessoas saírem do seu papel, que logo percebia que não condizia, o que me atraia era a encenação delas, não o real. 
Fui fazer cursos em museus de arte, pensava que lá encontraria meu lugar, que decepção, encontrei foi uma burguesia que finge ter bom gosto. 
Não estou dizendo que sou melhor ou pior que ninguém, nem que sou altamente diferente dos demais, mas está claro que não encontrei meu lugar no mundo ainda. Talvez tenha dado um erro na hora de eu nascer, um erro cronológico e geográfico. Nasci na época e no lugar errado. Onde é meu lugar? Sinto-me sozinha aqui!

2 comentários:

  1. Da tal onipresença divina às vezes sentimo-nos a exceção.
    GK

    ResponderExcluir
  2. Me sinto exatamente assim, uma estrangera em todos os lugares que vou, pensamentos e time diferenciado de todos, por isso as vezes fico meio autista, entro dentro de mim, e odeio que me chamem e me tirem do meu mundo bom em que tudo faz sentido, e que só conheço dentro da minha cabeça ainda. Quem sabe um dia eu possa encontrar meu lugar, e minhas pessoas!

    ResponderExcluir