Retalhos e Devaneios

Retalhos e Devaneios

Páginas

domingo, 28 de abril de 2013

Minha solidão parte I

O fim de um relacionamento, principalmente relacionamentos como o  meu, no qual admiramos profundamente e amamos muito a pessoa que estava ao nosso lado é realmente muito difícil de superar. Uma etapa cruel e profundamente dolorosa. Por mais que tentemos ficar bem, ver pessoas e fazer coisas, não dá, é forçoso, é inútil, aí cansamos de tentar e nos jogamos fracos e entregues nos braços da solidão, tanto resistimos, a solidão é fria, a solidão é séria, é verdadeira demais, é real demais, mas não tem como fugir, é nos braços dela que nos entregamos definitivamente. Sua acolhida é a mais diferente de todas, nem uma palavra de consolo, nenhum afago, nenhum afeto, nada, mas aí vamos descobrindo que é nesse breu que encontramos nossas forças, que apenas encarando a solidão, nos sentindo derrotados, despedaçados que a vida vai voltando lentamente e forte. Eis um pouco da minha solidão. 






sábado, 27 de abril de 2013

Elegância é pouco....

A mulher mais elegante que tenho conhecimento. O nome é lindo, a voz é maravilhosa, tudo nela é demais, e ainda elegante e belíssima. Françoise Hardy a grande diva, vence e tempo, tanto na idade quanto na contemporaneidade. Incrível!














sexta-feira, 26 de abril de 2013


Je T'aime Moi Non Plus 
Je t'aime je t'aime
Oh oui je t'aime
Moi non plus
Oh mon amour
Comme la vague irrésolue
Je vais, je vais et je viens
Entre tes reins
Je vais et je viens
Entre tes reins
Et je me retiens

Je t'aime je t'aime
Oh oui je t'aime
Moi non plus
Oh mon amour
Tu es la vague, moi l'île nue
Tu vas, tu vas et tu viens
Entre mes reins
Tu vas et tu viens
Entre mes reins
Et je te rejoins

Je t'aime je t'aime
Oh oui je t'aime
Moi non plus
Oh mon amour
Comme la vague irrésolue
Je vais, je vais et je viens
Entre tes reins
Je vais et je viens
Entre tes reins
Et je me retiens

Tu vas, tu vas et tu viens
Entre mes reins
Tu vas et tu viens
Entre mes reins
Et je te rejoins

Je t'aime je t'aime
Oh oui je t'aime
Moi non plus
Oh mon amour
L'amour physique est sans issue
Je vais je vais et je viens
Entre tes reins
Je vais et je viens
Je me retiens
Non! maintenant viens...

Bom demais! rsrsrsrs 



domingo, 14 de abril de 2013

sem ter para onde fugir

A Terra gira, o tempo passa e chega aquele momento que não há mais para onde fugir. A vida nos obrigou a ficar apenas conosco, sem ter para onde fugir, sem ter para onde correr, sem ter a quem recorrer. Percebe-se então que o maior medo até agora era esse, encarar-se, ter-se, aguentar-se, mergulhar-se, chocar-se e desnudar-se. Por que tanto medo de nós mesmos? De onde sai tanta dor sem nome, sem sobrenome, sem causa, sem razão, sem sentido algum? Tanta fuga achando que o que nos amedrontava era os outros, e quanta fragilidade ao perceber-se como o maior carrasco, o mais tirano e mais inocente. Não nos conhecemos, e apenas uma certeza, não tem como fugir, nem para onde ir, o encontro é sempre o mesmo. 

quarta-feira, 10 de abril de 2013

segunda-feira, 8 de abril de 2013


"Mudaram as estações, nada mudou
Mais eu sei que alguma coisa aconteceu,
Tá tudo assim, tão diferente.
Se lembra quando agente chegou um dia acreditar
Que tudo era pra sempre, sem saber,
Que o pra sempre, sempre acaba
Mais nada vai conseguir mudar o que ficou..."  

Legião Urbana. 
Assim me sinto hoje. 

domingo, 7 de abril de 2013

quarta-feira, 3 de abril de 2013

As vezes vejo por uma janela, depois através da outra, uma vez daquela, outra de outra, mais uma vez da primeira, mas nunca mais da mesma forma. 
Estou maluca ou quase todos e todas são machistas. Se não estou maluca ficarei, está bem difícil!

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Queria que tivesse sol hoje, que o telefone vibrasse, que minha música tocasse, 
Queria não ter coração, não ter emoção, não ter ilusão, 
Queria ter um sonho bom, ter um pouco de razão, 
Queria não conhecer minha fraqueza, e nem ter que superar tua tamanha franqueza. 
Queria que os espelhos sumissem, que a dor se esvaí-se.