Retalhos e Devaneios

Retalhos e Devaneios

Páginas

sexta-feira, 22 de março de 2013

Sinto muito pelo cara que ontem no farol, desesperado, me pediu pelo menos dez centavos, 
Sinto muito pelos índios que hoje foram escorraçados do Museu do índio no RJ, 
Sinto muito pelo outro índio que hoje passou descalço por mim perguntando se eu queria comprar uma bala, 
Sinto muito por todos os jovens que tem tablets, mas não interpretam um texto, 
Sinto muito pela mãe que amamentava na esquina sentada no chão, 
Sinto muito pelo cara que no banco bebia e conversava sozinho, 
Sinto muito pelas pessoas que voltaram do trabalho esmagadas, de pé e cansadas no ônibus, e pagaram mais de três reais pela passagem, 
Sinto muito pelas árvores que derrubaram no Gasômetro, e que nem a dois meses tirei uma foto, 
Sinto muito por mim, por ti e por todos nós, 
mas sentir não muda nada, e eu sinto muito por isso também.

Um comentário:

  1. E, sobretudo, sintamos muito por nossa tão flagrante passividade conivente.
    GK

    ResponderExcluir