Retalhos e Devaneios

Retalhos e Devaneios

Páginas

quinta-feira, 28 de março de 2013

Você foge, 
Você se preocupa, 
Tudo é na horizontal ou na vertical, as linhas não se cruzam jamais, 
Planejado, organizado, selecionado, inquestionável, 
Você se reprime, você se define, você se molda, você suporta e você transborda. 
E se pensarem? E se verem? E se perder o controle? 
Controle descontrolado, muitas vezes descompassado, 
Desse descontrole descompassado eu entro, eu sou, 
Mas se ajustarem novamente os ponteiros? 

domingo, 24 de março de 2013

Tattoo II

Mais uma etapa da tatuagem, não vejo a hora de ficar pronta, agora estou na fase de suportar as casquinhas e a vontade de enfiar as unhas rsrsrsrs....




sexta-feira, 22 de março de 2013

Sinto muito pelo cara que ontem no farol, desesperado, me pediu pelo menos dez centavos, 
Sinto muito pelos índios que hoje foram escorraçados do Museu do índio no RJ, 
Sinto muito pelo outro índio que hoje passou descalço por mim perguntando se eu queria comprar uma bala, 
Sinto muito por todos os jovens que tem tablets, mas não interpretam um texto, 
Sinto muito pela mãe que amamentava na esquina sentada no chão, 
Sinto muito pelo cara que no banco bebia e conversava sozinho, 
Sinto muito pelas pessoas que voltaram do trabalho esmagadas, de pé e cansadas no ônibus, e pagaram mais de três reais pela passagem, 
Sinto muito pelas árvores que derrubaram no Gasômetro, e que nem a dois meses tirei uma foto, 
Sinto muito por mim, por ti e por todos nós, 
mas sentir não muda nada, e eu sinto muito por isso também.

segunda-feira, 18 de março de 2013

Só restou o silêncio, um silêncio com cor de silêncio, um silêncio com perfume de silêncio, com dor de silêncio e tudo silenciou...  


quinta-feira, 14 de março de 2013

Se não tem sentindo, é porque faz todo o sentido...
passa... 
passa logo... 
passa e não volta...
passa, passageiro, passaredo... 
voa para longe, 
voa além...

terça-feira, 12 de março de 2013

"O pior dos problemas da gente é que ninguém tem nada com isso."
Mário Quintana

Grande verdade!

segunda-feira, 11 de março de 2013

devaneio da metade

Tem pessoas que vivem as meias, não entregam-se nunca, controlar é o seu destino, não choram, não fecham os olhos para beijar, não entregam-se jamais, são ponderadas, não gostam de perder o controle, previsão é seu destino. Precisam evitar o sofrimento, e não percebem que sofrem, pois não vivem, sofrem por medo de sofrer. Sofrem o não viver, o que não fizeram, o que não disseram, o que não concretizaram. 
Pessoas meias programam tudo, se der é assim, se não der é assado, elas não se desesperam, pois se der certo ou errado já era previsto mesmo. Não abraçam apertado demais, por medo de sentir o coração, não beijam longamente, tem medo de perder-se no beijo, e perder-se no tempo. 
Meias pessoas tem sempre meias horas, sempre um relógio a controlá-las, não perdem a noção do tempo jamais, mas esquecem das fases da lua, não percebem o calor do sol e nem o molhado da chuva. Meias pessoas, tem meias palavras, jamais as deixam fluir livremente, enganam-se no seu controle, mentem para si, afinal não querem se expor, nem sofrer. Mas como sofrem essas meias pessoas, essas pessoas meias! 

domingo, 10 de março de 2013

tattoo

Finalmente começa a sair a tattoo, atrasei para começar por uma série de fatores, insegurança, tempo, dúvida, dificuldade em encontrar o tatuador. Finalmente problemas resolvidos. Postarei a cada nova sessão os resultados. Estou amando, a criação é do Lucas Rodrigues, excelente artista e tatuador. 





sexta-feira, 8 de março de 2013

"Feliz dia da mulher!" hã? Não entendi! é tipo aniversário? 
"Tem que ser mulher de verdade!" hã? Que será que é uma mulher de mentira? 
"pra nós que temos que ser magras, mães...." hã? Achei que eram escolhas e não imposições! Tem que ser mesmo?
"Parabéns para aquelas dão conta de três jornadas...." hã? Tipo parabéns por ser escrava?

segunda-feira, 4 de março de 2013

devaneio da imagem.

Postei essa foto no facebook, a ideia era apenas mostrar uma foto o mais natural possível, sem maquiagem, sem brinco, sem blusa, sem as madeixas. Uma foto que lembrasse as 3 x 4 antigas, só isso. Talvez porque estou numa fase de busca de mim mesma, sem as máscaras do dia-a-dia. Para minha surpresa fui super criticada, a foto causou desconfiança e rejeição. Várias pessoas questionaram se eu ia ou não cortar o cabelo, lamentavam, pediam que não cortasse, outras elogiavam hehehe sem necessidade, outras me perguntaram porque postei uma foto tão mórbida, até pessoalmente, algumas pessoas foram falar comigo. Fiquei pensando sobre isso, porque a rejeição tão grande ao que realmente somos? Excluindo os artifícios, somos meros esqueletos, carregados de sentimentos e emoções, mas esqueletos, o resto são apenas adereços... acredito que precisamos valorizar mais o que é realmente importante.