Retalhos e Devaneios

Retalhos e Devaneios

Páginas

terça-feira, 12 de abril de 2011

CAIO FERNANDO ABREU


Já se sentiu perseguida por um cantor, um poeta, uma música, um tema? Você vai trabalhar e lá aparece a história, vc está distraído e alguém lhe chama e lá está a história. Pois é, eu sou assim tenho fases que sou perseguida dias e mais dias por uma música, um cantor, um filme, um escritor. Enfim, to na fase de Caio Fernando Abreu, fazem dias que me persegue e já estou até ficando preocupada, aqui vai o devaneio do dia: sempre acho que em tudo há um sinal, vc não acha? Será que ele quer me dizer algo? Quer se comunicar? Quer que eu tome alguma atitude? Preciso entender isso.

Ultimamente tudo que abro na internet tem uma citação, e o estranho é que não é qualquer citação, algo que leio e digo: oh que lindo isso!!! Não, é algo que afunda no peito, uma adagada, sem dó e nem piedade. Sabe o negócio que parece que foi escrito a cinco minutos sobre o que eu estava pensando e sentindo? Aí além da perseguissão virtual, estava semana passada no meu curso de teatro, e pela primeira vez tinha que decorar um trecho de um texto. O professor entregou e adivinha de quem era o texto a ser decorado? de Caio Fernando Abreu. Fiquei perplexa!!!! E assim está indo, ontem até chorei (e isso é difícil), porque era demais a coincidência.


Alguns trechinhos para saborearmos, esse poeta maravilhoso!!!!


"Eu quero, certo? Não sei se devo, também não sei se posso. Se é permitido? Sei lá, acho que também não sei o que é dever ou poder, mas agora estou sabendo de um jeito muito claro o que é precisar, certo? E quando a gente precisa, não importa que seja proibido. Querer? Querer a gente inventa. Ou não. " CFA


" Penso sempre que um dia a gente vai se encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver medo nem coisas falsas. Há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. São coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas." CFA

Um comentário: